Olá, ajudarei você a identificar uma estratégia de e-business que servirá como base para seu negócio. Também mostrarei as etapas para criar um business case para o projeto de transformação. Por fim, compartilharei algumas dicas para que você aplique no seus projetos e impulsione o seu negócios, acredito que não caiba em um único artigo pois pode ficar muito grande, então irei dividir e colocar o link no final. Vamos começar.

O e-business tem como objetivo melhorar a competitividade de uma organização por de tecnologias de informação e comunicação. O e-business não envolve simplesmente o uso da tecnologia para automatizar os processos existentes, mas conseguir evoluir processos pela aplicação da tecnologia, dentro da empresa, com parceiros ou clientes.

A transformação digital é o termo da vez e tem muita relação com o e-business. Basicamente, empresas que ainda não adotaram o e-business como metodologia de gestão empresarial são aquelas que precisam ou estão passando pela transformação digital. É muito mais do que apenas introduzir avanços tecnológicos em nossas empresas: é uma mudança radical de paradigmas que está modificando a forma de se fazer negócios. Não há empresa no mundo que esteja imune às metamorfoses trazidas por essa inevitável evolução. Para ser bem-sucedido no gerenciamento do e-business, é preciso ter um amplo conhecimento dos diferentes processos e atividades do negócio por toda a cadeira de valores, como marketing, vendas, até o o desenvolvimento de novos produtos, manufatura e logística. Por isso que o e-business está mais ligado à estratégia que à tecnologia, não deve ser um projeto da área de TI, mas um projeto global da empresa.

Transformando a experiência do cliente

  • Compreensão do cliente: avaliação de comportamento dos clientes e prospects em mídias sociais, análises geográficas, de mercado e marketing digital são alguns dos meios utilizados para entender o consumidor e entregar valor de forma mais assertiva.
  • Crescimento de vendas: as novas possibilidades tecnológicas são utilizadas como ferramentas para potencializar o relacionamento com o cliente e aumentar receitas.
  • Pontos de contato: com a multiplicação de canais, o consumidor pode resolver suas necessidades de forma digital, de maneira mais ágil para ele (muitas vezes autônoma) e mais barata para a empresa.

Transformando o modelo de negócio

  • Negócios digitalmente modificados: não se trata de mudar a forma como se gerencia a tecnologia, e sim a forma como se faz negócios a partir das necessidades do cliente e das possibilidades oferecidas pelas ferramentas.
  • Novos negócio digitais: novos produtos ou serviços complementam a atividade original entregando um produto ampliado.
  • Globalização digital: as empresas deixam de ser multinacionais e se tornam globais. Utilizam serviços digitais globais de forma integrada, têm mais agilidade na tomada de decisão e podem fazer negócios internacionais como se estivesse na cidade ao lado.

Agora que você tem uma ideia do que é E-business, depois escrevo um artigo mais aprofundado sobre este assunto, vamos começar nosso processo, boa leitura.

Você precisa de várias etapas para identificar a melhor solução para seu desafio e torná-lo um caso de transformação. Usaremos um exemplo de uma empresa de varejo para ajudar o processo. É possível adaptar essas mesmas etapas para seu caso de uso específico. Imagine que você trabalha em uma loja de roupas. Você quer que os clientes se sintam bem usando os produtos da empresa.

A pergunta inicial pode ser: "Como posso dar sugestões nas lojas para gerar mais vendas?". Porem, resolver essa questão seria só uma pequena melhoria para a empresa. Ao criar um objetivo ambicioso, a pergunta seria mais refinada da seguinte forma: "Como posso redefinir a experiência dos clientes para melhorar significativamente a autoimagem deles, todas as vezes que interagem conosco?". Esse é um verdadeiro desafio. Ele é ambicioso, não tem soluções óbvias e transformaria o seu negocio, certo?.

Nos concentraremos nessa pergunta, não haverá mais alterações.

A próxima etapa é apresentar soluções possíveis. Não queremos qualquer solução, é preciso levar em conta o uso da tecnologia de nuvem. Pegue um pedaço de papel ou se reúna com colegas com um quadro branco e escreva seu desafio no centro da folha ou do quadro. Depois discuta de três a cinco soluções possíveis. Não há respostas certas ou erradas, somente ideias, anote todas elas. Não se preocupe com a implementação, deixe as ideias fluírem. Também é importante ter ao menos três soluções antes de avançar para a próxima etapa.

Quanto ao nosso exemplo da loja de roupas, veja três possíveis soluções para o desafio.

Uma ideia pode ser a criação de uma loja conceito em uma rua bem movimentada ou em um local importante da cidade e contratar psicólogos e consultores de imagem experientes para receber os clientes em um espaço privativo. Ali, esses profissionais passariam cerca de duas horas para conhecer o cliente e criar recomendações de roupas personalizadas com base nos interesses e nas metas de imagem de cada pessoa.

A segunda ideia poderia ser um bot com tecnologia de IA e personalidade amigável para se conectar com os clientes enquanto eles navegam por sites e aplicativos de moda. Seria uma janela pop-up para interagir em uma conversa, como você faria com um amigo sentado ao seu lado. O melhor disso tudo é que seriam oferecidos links diretos para a compra dos itens recomendados, no tamanho certo.

Uma terceira ideia seria transformar o apartamento ou a casa do cliente em um provador de roupas exclusivo. Isso pode ser feito com uma caixa elaborada com itens pré-selecionados equipados com sensores. Cada item também seria conectado a uma experiência interativa de chat. Conforme o cliente interage com o item, um assistente orienta as escolhas e faz recomendações simples de itens que não estão na caixa, além de oferecer contato com um consultor humano para conversas mais detalhadas.

Agora você tem três ideias, cada uma inovadora à sua maneira, ótimo! Mas qual delas será a melhor opção para seu caso de transformação? Estes são os critérios. Viabilidade, diferencial e impacto nos negócios. A viabilidade se refere aos métodos técnicos e não técnicos para chegar à solução. Por exemplo, a tecnologia para a solução existe? A viabilidade não técnica pode incluir a prontidão da organização ou da base de clientes. Caso a organização ou a base de clientes ainda não esteja pronta para a solução, você precisará esperar e socializar a ideia antes de executá-la.

O diferencial se refere à vantagem competitiva. A solução se diferencia significativamente de tudo que existe no mercado? Melhor ainda, ela cria esse diferencial de uma forma que somente sua organização pode fazer facilmente, dificultando a replicação por parte da concorrência? Se esse for o caso, a solução ganha muitos pontos. O impacto nos negócios se refere aos benefícios que a solução traria para a organização e o custo disso. Use esses parâmetros para cada solução discutida antes de fazer a escolha final.

A solução ideal teria pontuação alta nessas três variáveis. Voltaremos às nossas soluções para ver como elas se saíram.

A primeira ideia era a de lojas conceito em ruas movimentadas com equipes de psicólogos e consultores de imagem. Para criar essa experiência personalizada para o cliente, a pontuação de viabilidade seria média. O diferencial seria alto, mas o impacto nos negócios teria uma pontuação baixa, porque essa solução seria cara e precisaria de muitos recursos e tempo.

A segunda ideia era um bot de mídia social amigável, com tecnologia de IA. A pontuação de diferencial seria alta, assim como a do impacto nos negócios, mas a viabilidade seria baixa, porque a solução é quase impossível de implementar.

A terceira ideia envolve uma caixa personalizada com produtos pré-selecionados que transformam a casa do cliente em um provador de roupas. No geral, as pontuações parecem boas. A viabilidade não é tão ruim, é algo possível de se fazer. O impacto nos negócios seria alto, e a solução apresenta grande diferencial. Assim a ideia vencedora é a terceira, a caixa personalizada de roupas.

Ela está na interseção certa entre a viabilidade técnica, o impacto nos negócios e o diferencial, se destacando entre as outras ideias. A meta final agora é criar esse serviço personalizado de assinatura. Você usará os serviços na nuvem para avaliar as preferências, prever os itens mais capazes de melhorar a autoestima e recomendar alguns produtos, de forma que possa enviar uma caixa personalizada com esses itens para cada cliente. Os clientes podem provar as roupas em casa e usar o assistente inteligente para ver mais opções ou interagir com um consultor de imagens em tempo real. Por exemplo, é possível perguntar se o mesmo item está disponível em outro tamanho ou em uma cor diferente e receber uma opinião a respeito do visual ou sobre quais acessórios combinariam com esse estilo.

Depois o cliente pode escolher comprar ou devolver as amostras e talvez receber uma oferta especial. Mas criar esse serviço personalizado de assinatura é um projeto enorme, que nunca foi feito antes. Você está avançando em direção ao topo da montanha, e isso pode assustar. Criaremos as etapas para chegar até lá. Para isso, será preciso dividir a solução em projetos menores e aplicá-los em um roteiro de transformação.

                                                                                          Parte 2 deste artigo...