O que é tráfego não atribuído e como resolver

Compreender o tráfego não atribuído em GA4 (Google Analytics 4) é crucial para a otimização de sua estratégia de marketing digital e para uma análise de dados mais precisa. No contexto do GA4, o termo “tráfego não atribuído” refere-se ao tráfego que não foi categorizado em nenhum dos grupos de canais predefinidos como pesquisa orgânica, pesquisa paga, referência ou tráfego direto, entre outros.

Regras do Canal no GA4

O GA4 utiliza um conjunto de regras de canal, que são, essencialmente, algoritmos desenvolvidos para categorizar fontes de tráfego similares em grupos de canais. Essas regras consideram os parâmetros UTM (utm_source e utm_medium) anexados aos URLs para fazer essa classificação.

Caso de Uso: Tráfego Orgânico

Por exemplo, consideremos as seguintes fontes de tráfego:

  • google (taggeado como google / orgânico)
  • yahoo (taggeado como yahoo / orgânico)
  • bing (taggeado como bing / orgânico)
  • aol (taggeado como aol / orgânico)

Todas essas fontes têm o mesmo “meio” de tráfego: “orgânico”. Portanto, o GA4 as agrupa automaticamente sob o grupo de canal “Pesquisa Orgânica”.

Caso de Uso: Tráfego Não Atribuído

Em contrapartida, considere as seguintes fontes de tráfego:

  • (não definido)
  • E-book / PDF
  • e-books / pdf-ebook
  • pocket_reader / (não definido)
  • rss / rss
  • The-Digital-Marketing-Hub / site

Neste cenário, as fontes de tráfego têm parâmetros UTM definidos de forma irregular ou não estão definidos. O GA4 não tem regras de canal predefinidas para tais condições. Como resultado, ele agrupa essas fontes sob a categoria “Não Atribuído”.

Dimensão Técnica e Escopo

Tecnicamente, “Não Atribuído” é uma dimensão de grupo de canal padrão no GA4 que pode ter vários escopos, incluindo escopo do evento, escopo do usuário e escopo da sessão. A compreensão deste conceito é vital para a análise de funis de conversão, taxas de rejeição e outros KPIs de desempenho.

Como Resolver o Problema de Tráfego Não Atribuído

A solução ideal é estabelecer regras de canal personalizadas no GA4 para tratar desses casos. Isso pode ser feito acessando as configurações do seu GA4, seguido de “Regras de Grupo de Canal” e então criar novas regras que correspondam às suas fontes de tráfego não atribuídas.

Ao lidar de forma acertiva com o tráfego não atribuído, você garante que suas métricas sejam mais confiáveis, o que por sua vez facilita a otimização de estratégias de marketing e análise de dados.

Abaixo está um passo a passo detalhado sobre como abordar esta questão dentro do GA4:

Passo 1: Identificar Fontes de Tráfego Não Atribuído

Antes de mais nada, você deve identificar as fontes de tráfego que estão sendo agrupadas como “não atribuído”. Isso pode ser feito no painel de controle do GA4, sob o relatório de aquisição ou fontes de tráfego.

Passo 2: Acessar as Configurações do GA4

  1. Faça login na sua conta do Google Analytics.
  2. Vá até a propriedade GA4 que você está gerenciando.
  3. Clique no ícone de “Engrenagem” ou “Admin” localizado na parte inferior esquerda para acessar as configurações.

Passo 3: Navegar até Regras do Grupo de Canal

  1. Sob a coluna “Propriedade”, procure por “Regras de Grupo de Canal” ou um termo similar. Este é geralmente localizado sob a seção de “Dados”.
  2. Clique em “Regras de Grupo de Canal” para acessar as regras atuais.

Passo 4: Criar Novas Regras de Canal

  1. Clique no botão para criar uma nova regra, geralmente identificado como “Novo” ou “Adicionar Nova Regra”.
  2. Nomeie a regra de forma descritiva.
  3. Configure as condições para a fonte (Source) e/ou meio (Medium). Por exemplo, se o tráfego não atribuído vem de um e-book, você pode definir a fonte como “E-book / PDF”.

Passo 5: Testar a Regra

Antes de finalizar, certifique-se de testar a regra para garantir que ela está agrupando o tráfego como desejado. Isso geralmente pode ser feito dentro do próprio menu de configuração das regras de canal.

Passo 6: Salvar e Aplicar

Uma vez que a regra esteja configurada corretamente, clique em “Salvar” ou “Aplicar” para que a nova regra entre em vigor.

Passo 7: Monitorar e Ajustar

Monitore o desempenho da nova regra nos próximos dias ou semanas para garantir que o tráfego esteja agora sendo atribuído corretamente. Faça ajustes conforme necessário.

Passo 8: Documentação e Comunicação

É aconselhável documentar as alterações feitas e comunicar às partes interessadas pertinentes, especialmente se você está em um ambiente de equipe onde múltiplos profissionais acessam o GA4.